• Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page

© Cantinho do Azeite. 

Satisfação Garantida.Mais de 5.000 entregas realizadas

Pague com segurança no Cartão, depósito ou boleto

O mundo das pimentas

Pimenta Caroline Reaper, considerada a mais ardida do mundo

O QUE SÃO AS PIMENTAS

 

Pimenta é o nome comum dado a várias plantas, seus frutos e condimentos deles obtidos, de sabor geralmente picante. Porém, este termo tem acepções diferentes nos vários países lusófonos.

 

Os componentes mais característicos encontrados exclusivamente nas pimentas são alcaloides denominadas capsaicinoides, responsáveis pela ardência que produzem quando entram em contato com as células nervosas da boca e das mucosas. São divididas em duas

categorias:

 

Capsaicina

Encontrada nas nervuras do fruto das pimentas vermelhas. Age provocando uma surpreendente aceleração do metabolismo no local, dilatando os vasos capilares e aumentando o fluxo sanguíneo, o que propicia um substancial aumento do fluxo de nutrientes e de oxigênio à área atingida e, além disso, estimula as ramificações nervosas, elevando a capacidade dos sistemas imunológico e anti-inflamatório e melhorando a capacidade de cicatrização e a ação bacteriológica.

 

Piperina

Muito concentrada na pimenta-do-reino, porém presente também nas sementes de diversas espécies de pimentas hortícolas.

Essas duas substâncias isoladas não possuem qualquer cheiro ou sabor, apesar do ardor que ambas provocam, cada qual ao seu modo. A piperina produz ardência através da ação causticante, queimando as células superficiais da mucosa atingida.

 

 

Ação metabólica

 

A ação da pimenta e seus efeitos no metabolismo humano acontecem da seguinte forma: quando uma pessoa ingere um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina estimula os receptores sensíveis existentes na língua e na boca. Ao serem atingidos quimicamente por tais substâncias, esses receptores nervosos transmitem ao cérebro uma mensagem informando que a sua boca estaria sofrendo queimaduras. Imediatamente o cérebro gera uma resposta ordenando ações no sentido de salvá-lo do suposto fogo e, com isso, vários agentes entram em cena para refrescá-lo: a pessoa começa a salivar, sua face transpira e seu nariz fica úmido. Além disso, embora a pimenta não tenha provocado nenhum dano físico real, seu cérebro, enganado pela informação de que sua boca estaria pegando fogo, começa a fabricar endorfinas que permanecem por um bom tempo no seu organismo, provocando uma sensação de bem-estar.

 

Além da coloração intensa e dos sabores picantes, associados aos caprichos e à sedução, a pimenta historicamente tem sido considerada como um suposto afrodisíaco. Já no século XVI era proibida aos jovens sob a suspeita de estimular a sensualidade. Mas tudo isso surpreendentemente pode ter fundamentos razoáveis, uma vez que a capsaicina, ao provocar o aumento dos níveis de endorfina, faz com que o sistema nervoso central responda com uma agradável sensação de prazer e bem-estar, além de elevar a temperatura corporal e ruborizar a face, condições propícias ao afloramento espontâneo da sensualidade.

 

 

Principais espécies

 

Piper

  • Piper negrum - Pimenta-preta, conhecida como pimenta-redonda ou pimenta-do-reino

  • Piper guineense - Pimenta-de-são-tomé

  • Piper longum - Pimenta-longa

 

Capsicum

  • Capsicum annuum - pimentão (no Brasil) ou pimento (em Portugal), que é uma pimenta doce, Jalapeño, Pimenta-caiena

  • Capsicum baccatum - pimenta-dedo-de-moça, pimenta-cumari e cambuci. No Brasil também pimenta-calabresa.

  • Capsicum frutescens - Pimenta-malagueta, também chamada piripíri, jindungo ou malagueta

  • Capsicum chinense - Pimenta-murupi, Savina-vermelha

  • Capsicum pubescens

  • Bhut Jolokia - provável híbrido de C. chinense e C. frutescens, era considerada a pimenta mais ardida de todas até 2012. Perdeu esse título para a Trinidad Scorpion e desde 26 de dezembro de 2013 a pimenta mais ardida é a Carolina Reaper . Todas essas pimentas são hibridas

 

Pimenta

  • Pimenta dioica - Pimenta-da-jamaica

 

Beneficios das pimentas

As pimentas possuem bastantes nutrientes, uma vez que, em uma colher de pimenta é possível encontrar mais de 70% de vitamina A e mais do que 100% de vitamina C, e também contém minerais como ferro, cálcio e algumas vitaminas do complexo B, como a niacina, tiamina e a riboflavina. Já as pimentas vermelhas possuem um potencial antioxidante bem maior do que as pimentas verdes, além de conter bioflavonoides que auxiliam na prevenção do câncer, principalmente o câncer de próstata.

 

Um dos efeitos que alegram os que estão acima do peso é a de que a pimenta ajuda na perda de peso. Especialistas acreditam que a capsaicina atua no sistema nervoso  aumentando a liberação de catecolaminas (noradrenalina e adrenalina), as quais atuam diminuindo o apetite. Devido ao seu efeito termogênico e por estimular a liberação de endorfina, o individuo se sente bem e perde a vontade de comer.

 

Podemos listar como benefícios das pimentas

  • Aliviar a congestão nasal;

  • Aliviar a dor, pois libera hormônios no cérebro que são a sensação de prazer e bem-estar;

  • Atuar como antioxidantes, prevenindo alterações nas células e câncer;

  • Agir como anti-inflamatório;

  • Estimular a digestão;

 

A pimenta faz mal?

 

O consumo frequente da pimenta em todas as refeições ou até mesmo o consumo de uma grande quantidade de pimenta somente no almoço ou no jantar pode ser prejudicial para o estômago. Assim, pessoas que tem o estômago sensível e sente algum desconforto ao consumir pimenta devem consumir este alimento em menor quantidade e de forma esporádica para não desenvolver uma gastrite ou úlcera gástrica.

Além disso, o consumo excessivo ou frequente da pimenta aumenta o risco de hemorroidas que são pequenas veias dilatadas no ânus, causado dor anal e dificuldade para evacuar. Por isso, quem possui hemorroidas não deve consumir nenhum tipo de pimenta, especialmente durante um período de crise. Fora da crise seu consumo pode ser esporádico porque o excesso de pimenta pode levar ao surgimento de hemorroida.

 

A escala de ardencia

 

A Escala de Scoville é usada para medir o grau de ardência ou pungência de plantas Capsicum, como as pimentas ou malaguetas.

O farmacêutico, Wilbur Scoville desenvolveu em 1912 um método para medir o “grau de calor” das pimentas. Este teste é chamado de Teste Organoléptico de Scoville ou Procedimento de Diluição e Prova.

 

A substância Capsaicina, aquela que gera a ardência nas pimentas, quando pura, equivale a 15 milhões de unidades Scoville. Portanto, o poder da pimenta é medido nesta escala. Por exemplo, a pimenta mexicana Habanero possuí cerca de 250 mil unidades Scoville. Já a “Red Savina Habanero”, quando modificada, pode chegar a 577 mil unidades e a Tezpur indiana chega a 877 mil unidades. Vejamos então, o Rank das pimentas mais quentes do mundo.

 

As 10 pimentas mais ardidas do mundo

 

10. Red Savina Habanero (Savina Vermelha)

Surgiu no início dos anos 90 por Frank Garcia em Walnut, na Califórnia. Os métodos permanecem em segredo até hoje, Red Savina Habanero era protegida sob a Plant Variety Protection Act até 5 anos atrás, em 2011. Na escala Scoville ela tem 248.556 unidades de calor Scoville, SHU.

 

9. Naga Morich

A Naga Morich, mais conhecida como Dorset Naga no Reino Unido tem exatamente 1.000 de unidades na escala Scoville. Ela se originou em Bangladesh e Nordeste da Índia, e vem de uma variação das espécies chinesas de pimentas.

 

8. Ghost Pepper (Bhut Jolokia)

Originária de Assam, na Índia, a Ghost Pepper em 2007 foi considerada pelo Guinness World Records como a pimenta mais ardida do mundo, após medir 1.041 milhões de unidades na escala Scoville. Mas, perdeu o título em 2011 para a Infinity Chili.

 

7. Infinity Chili

De acordo com a escala Scoville, a Infinity Chili tem 1.067 milhões de unidades. O criador dessa pimenta foi o inglês Nick Woods de Grantham e foram longos 5 anos tentando aperfeiçoar as espécies chinesas híbridas e seu cultivo antes de finalmente acertar na medida.

 

6. Bedfordshire Super Naga

Genovese descobriu a combinação perfeita dessa pimenta que mede 1.120 milhões de unidades na escala Scoville. Nos seus rótulos são sinalizadas advertências de a “A Pimenta Mais Quente”, e “Nunca tocá-la sem luvas!”. Essa pimenta é raridade, sendo muito difícil encontrá-la.

 

5. Trinidad Moruga Scorpion

Nativa do distrito Moruga, na região de Trinidad e Tobago, Moruga Scorpion foi desenvolvida pelo nativo de Trinidad, Wahid Ogeer, e foi reconhecida como a pimenta mais quente do mundo em 2012, pelo Chile Pepper Institute de New Mexico State University.

Ela mede mais de 1.200 milhões de unidades na escala Scoville, extremamente ardida. Quem já teve o prazer de experimentá-la a descreve como uma pimenta doce, quente e de sabor frutado.

 

4. Naga Viper

A Naga Viper atingiu uma quebra de recorde de 1.382 milhões de unidades de Scoville, e ganhou o título de a pimenta mais quente do mundo em 2011.

 

3. Komodo Dragon Chilli Pepper

Essa pimenta é comercializada pela Tesco, elas medem incríveis 1.400 milhões de unidades na escala Scoville e vem com um aviso, “Não consumir inteira. Não tocar sem luvas”. Só de olhar já ardem os olhos.

 

2. Trinidad Scorpion Butch T

Proprietário da Butch Taylor de Crosby, Mississippi, nos Estados Unidos, Butch T. Essa pimenta é cultivada na cidade de Morisset, cerca de 120 quilômetros ao norte de Sydney, na Austrália, já chegou a ser eleita a mais ardida do mundo pelo Guinness, o livro dos recordes.

Em 2011 , um laboratório mediu a espécime, chegando aos impressionantes 1.463 milhões de unidades da escala de Scoville, classificando-a oficialmente como a pimenta mais quente do mundo naquela época.

 

1. Carolina Reaper

Criada em estufa por Ed “Smokin” Currie que dirige PuckerButt Pepper Company em Fort Mill, Carolina do Sul, nos Estados Unidos, ela mede 1.569 milhões de unidades na escala Scoville. Ela ganhou seu título no Guinness World Records no verão de 2013 e desde então permanece no topo das pimentas mais quentes do mundo. E aí, vai encarar?

Nivel de ardencia - escala Secoville